sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Vamos avaliar nossas vidas?


Antigamente as pessoas escreverem diários era mais comum. Hoje dificilmente isso acontece, porque não há mais tempo para nada. Tudo passa rápido demais em uma frenética sucessão de imagens, de sons e de acontecimentos. Ao observarmos alguns períodos é fácil constatar a velocidade com que atravessamos nossa existência. Você seria capaz de lembrar, por exemplo, das principais coisas que aconteceram em sua vida em 2011? Ou em outro ano qualquer? Tente fazer este exercício para ver como a rotina nos atinge de forma implacável.

A não ser quando os fatos são muito significativos, importantes, você lembrará. Ao contrário, se não fizer pequenos registros de vida tudo se perderá em suas lembranças ocultas ou reativas, perdidas quem sabe no lado não consciente da memória.

Sempre gostei de fazer registros e com eles poder avaliar alguns pontos de minha vida. Para aperfeiçoar algo que necessite, para reforçar algum conceito ou procedimento que deveria ser mais efetivo ou simplesmente no intuito de registrar os fatos. Simples história que certamente ficará perdida logo que aqui não mais estiver, porque até mesmo os familiares mais próximos não se interessam muito ou, salvo melhor juízo, têm suas próprias atribulações de vida como as nossas. O meu pai deixou alguns escritos que foram por mim colocados na internet. Algumas pessoas leram e gostaram muito. Flagrantes Diversos e Meu Depoimento foram alguns dos temas abordados por ele. Li muito seus livros, digitei tudo e releio algumas passagens de vez em quando. Eledizia que algumas pessoas, de seu círculo de amizades, já estavam sendo “convocadas” para a grande viagem.

E assim o tempo, mais uma vez cito o tempo, vai passando de forma célere para nós. Uma existência cercada de pontos positivos, mas que também foi marcada por algumas dificuldades. O fato é que, em decorrência da própria idade, vamos acompanhando a partida de amigos para outros planos. Prova de que esta vida terrena é tão rápida que hoje eu mesmo notei a convocação de vários amigos. Não tenho medo da partida, mas, tenho sim, saudades desta curta permanência.

Em minhas orações penso em todos que não mais estão conosco. Primos, parentes, amigos, que certamente estão em um local mais privilegiado do que o nosso. E assim a vida prossegue com seus grandes segredos, que o homem nunca irá desvendar. O da Vida e o da Morte ou mesmo de onde viemos e para onde iremos.

Avalie sua vida no sentido de verificar que materiais você está mandando atualmente para a construção de sua futura morada, pois da qualidade desses produtos é que você desfrutará de um futuro mais interessante. Como gosto de informática acho que todos nós temos uma planilha celeste para avaliar nossos atos e procedimentos bons e maus. De uma avaliação final dessas contas você será encaminhado para este ou aquele mundo. Sem dúvida um modo justo demais para essa aferição e controle de todos nós.



Veja também nas redes sociais:

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A política, o futebol, a religião... E os nossos amigos!


Existem três temas conhecidos que devem ser evitados para que não haja discórdia entre as pessoas, grupos, amigos. São eles a política, o futebol e a religião. Se nós pudéssemos contar com amigos que soubessem ouvir nossas ideias e respeitá-las, da mesma forma que todos devemos fazer a situação estaria resolvida, mas não é bem assim. Mas ninguém se contenta e por vezes surgem os desencontros de ideias que por vezes podem modificar amizades.

TEMAS CONTROVERSOS
 
Torço pelo Ceará Sporting Club, o “vozão”, o mais querido! Mas há muitas pessoas que torcem pelo Fortaleza, Ferroviário e outros clubes. E daí? Cada um tem sua preferência e todos deveriam respeitar a dos outros. Seria tão bom se pudéssemos ir a um estádio e ficar despreocupado com as famosas brigas de torcida, que mobiliza centenas de policiais para conter a selvageria antes, durante e depois de alguns jogos. São cenas lamentáveis que vemos pelo país afora. Parei de frequentar estádios por esta razão, segurança! Mas quando o Fortaleza, principal rival do Ceará, joga com outro clube “de fora”, eu torço por ele! Na boa mesmo. Não consigo desejar um mal para um torcedor adversário. É apenas um esporte, uma disputa em campo, e deve sempre ser encarada como tal, sem ódio!

Conheci um religioso que aceitava conversar e debater comigo sobre temas controversos, abordando a religião. Ele me ouvia, aceitava meus argumentos calmamente, mas não admitia algumas ideias minhas. Nossas conversas eram frutíferas por este aspecto. Em contrapartida quando o assunto se voltava para a política tudo mudava de figura. Aquela pessoa tolerante, boa ouvinte, se transformava e chegava a um ponto que tínhamos que parar a conversa e mudar de assunto. A política partidária o transformava chegando a ponto de transformá-lo em um radical mesmo, chegando até mesmo a ficar agressivo!  

INTERPRETAÇÕES ERRADAS

A interpretação de um fato surge a partir de um conjunto de evidências! Como analista de informações e aprendi a trabalhar com diversas ideias, ao final conseguindo interpretações corretas, baseadas nos fatos reais e verdadeiros, com toda a imparcialidade. Mas isso somente ocorre com um treino específico. No dia a dia as pessoas argumentam e chegam a conclusões simplesmente estapafúrdias, idiotas e sem nexo! E não adianta argumentar com elas. “Acham” simplesmente que são donas da verdade e pronto. Ora, lembro bem que meu pai, com seu brilhante raciocínio e dentro de uma serenidade enorme, dizia: “quando duas pessoas dizem que estão com a razão e estão em lado opostos, uma delas estará errada”. Não é mesmo?

O DIREITO DE PENSAR E AGIR

Então é assim que entendo: todas as pessoas possuem o direito de pensar e de agir conforme o que acha certo. Ter suas convicções. Mas nada impede que de uma forma civilizada uns não possam ouvir as ideias de outros e vice-versa. Eu sei que tenho o direito de me manifestar livremente e de maneira responsável.

Porque existe no mundo afora centenas de conflitos que tem por base princípios religiosos? Esta é a questão! O homem ainda precisa evoluir muito, o que talvez as gerações atuais não alcancem este estágio. Ou mesmo nunca chegaremos a um ponto de evolução a que me refiro. Mas a boa educação sempre nos fará refletir e evitar os confrontos com os mais desinformados ou aqueles que acreditamos estarem no caminho errado em seus pensamentos e ideias.

ATÉ OS CONCEITOS DO BEM E DO MAL “MUDAM”

Obsevem bem: até os conceitos do BEM e do MAL podem divergir em locais diferentes. Onde um ato de matar seu semelhante é considerado um MAL, um crime, em outro local, dependendo da cultura, do contexto, pode ser interpretado como um BEM, um heroísmo! Um homem-bomba, por exemplo, quando destrói e mata seus semelhantes em um atentado, acha que praticou um ato heroico e que, mesmo matando dezenas de pessoas e a si mesmo encontrará o paraíso! A que ponto podemos divergir uns dos outros...

A própria palavra subversão, que no Brasil é empregada para quem desejava transformar nosso regime no comunismo, também é empregada para aqueles, onde regimes comunistas ainda funcionam. Pessoas que em regimes comunistas desejam ter democracia são subversivas! Ou seja: subversivo é toda pessoa que deseja subverter uma ordem vigente, uma estrutura. Sabemos em virtude do que a historia apresenta que o comunismo se autodestruiu na extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Eu particularmente não tenho dúvidas de que o comunismo, além de ser utópico, não é, nem de longe o regime ideal. Se fosse bom mesmo em CUBA os cidadãos poderiam escolher entre ficar por lá ou sair! E não podem ter esta escolha.

UMA POLÍTICA PARTIDÁRIA ENFRAQUECIDA

É estranho saber que na política partidária, a disputa acirrada pelo poder faz com que determinadas pessoas e grupos fiquem de forma contundente se agredindo! Coisa feia, não civilizada... Quando o ideal é que o próprio povo pudesse se manifestar livremente, sem voto obrigatório, para quando em momento oportuno escolher seus representantes. Mas não é assim que acontece.

No Brasil vejo a política partidária muito fragmentada e sem ter o grau de merecimento que deveria. Não há uma fidelidade a partidos, nem ideologias. O que existe mesmo é um grande interesse pelo poder. A classe política está ficando cada vez mais desmoralizada pelos atos de improbidade que cometem muitos de seus representantes!

E a população deste imenso continente chamado Brasil é muito diversa. Há contingentes enormes de pessoas que não conhecem nada, não sabem ler, avaliar, discernir sobre o que está certo e o que está errado. Não entendem nada. Com o voto obrigatório serão compradas pelas promessas em todas as eleições. Este quadro mudará algum dia?

Veja também nas redes sociais:

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Atenção e cuidados ao dirigir !


A vida está mais complicada, no trânsito, principalmente nos grandes centros. Nossa segurança está comprometida. E sabendo disso as pessoas devem procurar se proteger de todas as formas. Não que se torne uma paranóia, mas há alguns aspectos fundamentais na proteção de nossas vidas. Há, no meu entender, muita hipocrisia e falhas nas leis de trânsito, uma vez que obrigam passageiros de veículos de passeio a usar cinto de segurança. E nos ônibus e vans? Não haveria necessidade disso também? E todos não deveriam andar sentados? Nas cidades interioranas a falta de fiscalização impera: nada praticamente é obedecido em relação ao trânsito. Motociclistas sem capacete, levantando às vezes a família inteira e pouco respeito às regras estabelecidas.  

DIREÇÃO DEFENSIVA

Quando estamos na direção de um veículo há uma complexidade de atos reflexos que adotamos, como olhar para os espelhos retrovisores a cada intervalo de sete segundos, instintivamente, observar com atenção a sinalização de trânsito, conferir a situação do veículo através dos indicadores do painel, como a velocidade, temperatura do motor, fechamento das portas, quantidade de combustível, o tempo, distâncias percorridas, dentre outros. Puxa! Tudo isso e ainda dirigir corretamente! Não é muita coisa? Claro que não!  

O QUE DISTRAI A ATENÇÃO DO MOTORISTA

Além dos reflexos condicionados, há acessórios que certamente distraem a atenção do motorista, como a utilização do equipamento de som, do ar-condicionado, as entradas de ar, os vidros com controle elétrico e para algumas situações o GPS (sistema de controle por satélite).

O uso do telefone celular é um destaque à parte. Além de ser proibido e penalizado pelo Código de Trânsito Brasileiro, fazer uso do celular divide sua atenção! E pode causar acidentes sérios, tirar sua própria vida ou a de terceiros. Tenha responsabilidade e não use o celular enquanto conduz um veículo. Ou então pare em local adequado.

E como fazer tudo isso e ainda: conservar o carro na estrada, a uma distância prudente de outros veículos, observar a sinalização existente, os outros veículos na mesma via e os eventuais descuidos de pedestres, ciclistas, animais que atravessam a pista e conseguir “escapar” ileso?

DIRIGIR MERECE MUITA ATENÇÃO

Espere! Preocupações também com as lombadas, o excesso de foto-sensores para controlar a velocidade nas estradas e nos multar caso não os obedeçamos! E ainda, para completar, as conversas ao dirigir, quando os passageiros esquecem que nós, condutores do veículo, já lidamos com tantas coisas. E o motorista deve ser preparado para saber conduzir veículos nas cidades, onde normalmente o trânsito é mais complicado, mas as velocidades são menores e também na estrada, quando em viagens os limites de velocidade são aumentados e consequentemente as situações de perigo ocorrem em um tempo mínimo!

O cérebro humano é mesmo uma máquina quase perfeita. Consegue processar tantas informações ao mesmo tempo – e às vezes dirigindo em alta velocidade. Bom saber que até os 80 quilômetros por hora um veículo pode ser controlado. Mas acima disso as chances de sucesso vão diminuindo proporcionalmente ao aumento da velocidade empregada. Prestar atenção, olhar para a estrada, conversar o estritamente necessário, não relaxar na segurança, fazem parte de meu lema, de minha conduta ao dirigir.  

Manter uma direção defensiva também faz parte do processo. O que vem a ser isso? Pensar na possibilidade de algo acontecer! Como? Ao avistar uma pessoa, um animal, uma motocicleta ou qualquer coisa que possa interferir no seu trajeto, reduzir a velocidade e admitir a possibilidade de eles entrarem inadvertidamente em seu caminho!

O LUSCO-FUSCO

Ao cruzar com veículos em vias estreitas reduzir a velocidade. Manter os faróis com luz baixa nas mesmas situações, quando dirigindo em períodos noturnos. Respeitar os perigos do lusco-fusco (o que é isso?) quando ao amanhecer as luzes do carro não iluminam a rodovia suficientemente e a luz do dia também não! E ao entardecer a mesma coisa acontece: a luz do dia não ilumina direito a estrada e a luz do carro também não é o suficiente.

O cansaço, a acomodação dos músculos quando se dirige por longos períodos, também são fatores de risco. Costumo fazer paradas básicas de duas em duas horas! Andar um pouco, esticar as pernas, lavar o rosto. E prosseguir com mais segurança.

MENTALIZE ESSES ASPECTOS

A pressa é inimiga da perfeição, todos sabem disso. Mas o por é que os acidentes nunca avisam que vão acontecer!

Oriente seus familiares e ensine desde cedo a seus filhos a observar essas regras que certamente vão ajudar o seu anjo da guarda na tarefa de protegê-lo. Só rezar e dizer “Maria vai na frente” certamente não vão ser suficientes! Peça a ajuda de Deus não para dirigir por você, mas para que você consiga a desempenhar uma condução responsável por onde dirige! E... Acho que nem precisa mais dizer que bebida não combina com volante de carro...


(*) João Ribeiro é Analista de Informações do Ministério do Trabalho, aposentado, cargo hoje denominado Oficial de Inteligência na atual Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); atuou também na Chefia da Segurança Orgânica, de Informática e da Documentação, na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Atualmente é Diretor do Instituto Portal Messejana e escreve também em seu blog, no qual aborda assuntos de interesse geral da comunidade e de outros campos de expressão do poder nacional. 
Veja também nas redes sociais:

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A mágica e o poder da fotografia


Ter um gosto eclético pode ser importante na vida de uma pessoa, em meu entendimento. Puxo a brasa para minha sardinha, como diz o ditado, porque sempre fui assim. Tanto no que se refere ao trabalho como aos tipos de entretenimentos. Por contingências da vida tive muitas fases de trabalho, todas muito interessantes. Nos entretenimentos e diversões também! Sou fascinado por barcos, aviões, esportes na natureza, fotografia, internet, eletrônica e  muita coisa mais. Acho que isso talvez tenha me atrapalhado um pouco pela variedade de opções.

Em minha adolescência a fase do futebol, com muita empolgação com os times. Isso dava um trabalho enorme para minha mãe quando tentava fazer a minha retirada de um campo de futebol, visto que às vezes somente parava quando não enxergávamos mais a bola! Período que me deixa saudoso. Mas por outro lado li bastante quando criança e jovem, o que certamente contribuiu para minha formação no futuro, na área de inteligência.

Durante toda a juventude foi o radioamadorismo que me encantou, através do qual consegui contatos com 172 países “confirmados”, como se diz entre os radioamadores, por “QSL”, que é uma confirmação do contato feita através do envio de um cartão postal, carta ou o quer que seja, pelos correios. Até hoje guardo os QSL recebidos! Iniciei como Faixa do Cidadão ou “PX” no dia em que acompanhei meu amigo Zé Roberto, da TV Educativa, falando com o Paulinho (irmão dele) através de um rádio instalado no carro. Achei aquela possibilidade superinteressante. Logo estava também falando com os amigos do carro e também com uma central que instalei em casa (detalhe: ainda não existia o telefone celular, o que tornava o serviço de extrema utilidade). Progredi neste caminho até ser Radioamador Classe “A”, de prefixo PT7-JSN, com o “QRA” (nome) Silva Neto. Por muito tempo mantive uma estação de rádio com os melhores equipamento da época e antenas direcionais, com rotores, tudo bem caprichado. Para completar o “esquema” gostava muito de atirar e de praticar judô e karatê.

A eletrônica também ocupou um espaço bem legal de minha vida, juntamente com a música, que praticamente me acompanhou desde criança. E mais recentemente outro mundo fascinante – a informática e tudo que é ligado à tecnologia. Todos são mundos fascinantes e que abrem horizontes praticamente diversos e infinitos! Quando começava a fazer um improviso sobre um tema legal um mundo novo se abria, como uma viagem! Da mesma forma quando conseguia um contato de rádio com o Japão ou outro país considerado difícil era empolgante demais. Na realidade escrever este texto foi uma "parada dura" pois várias vezes meus pensamentos fluíram para direções diferentes e a concentração demorava a retornar.

O mundo das imagens

Mas, reconstituindo minha trajetória, constato que a fotografia sempre me atraiu desde novo. Mesmo com todas as dificuldades de antigamente, fotos em preto e branco, filmes, máquinas analógicas e as revelações das fotos. Acho até que as dificuldades provocavam mais e mais a vontade pelas descobertas. Cheguei a construir uma pequena caixa para revelar os filmes! Comprava os líquidos reveladores e os fixadores, papel fotográfico e passava horas entretido em revelar meus próprios filmes. Um trabalho danado e expectativas frustradas em muitas oportunidades. A imagem não aparecia na revelação! Ora a falha poderia ter sido ocasionada pela queima do filme ao colocar ou retirar da máquina, dentro do quarto escuro, com o manuseio do filme para a revelação, enfim... Não demorei muito tempo com isso por exigir muita paciência...

As filmagens

Mais tarde fiz uns testes com pequenas filmagens em super 8. Como a filmadora e todos os processos eram caros para mim essa fase de filmagens durou pouco, para reaparecer somente com o advento do vídeotape e das filmadoras em VHS. Aí sim, deitei e rolei. Horas de gravação em diversas oportunidades, sendo que graças a este meu gosto temos hoje diversos registros de meus pais, que já não estão mais conosco aqui neste plano, além dos filhos, amigos, primos e locais. Passei também pela fase das gravações de fitas cassete, em áudio. Tenho gravações de meus filhos quando começavam a falar e nos primeiros anos de vida. Como tudo isso é importante. E com o tempo vai se valorizar ainda mais, tenho certeza. Para ter uma idéia transformei de VHS para DVD mais de 60 horas de vídeo, de momentos especiais para nossa família! E valeu a pena o esforço realizado. O intuito maior é deixar os registros para filhos e netos, possibilitando a eles um conhecimento de seus antecessores, de como eram seus pais e avós. Como eu gostaria de ver hoje uma imagem em vídeo de meu avô, João Ribeiro da Silva, um homem que teve o seu nome replicado em várias gerações em sua homenagem! E dele somente temos um “retrato” que mais se parece com uma pintura. Sua voz, seus gestos, o que dizia, tudo se perdeu, infelizmente. Ficaram apenas poucas frases anotadas em uma agenda pessoal...    

Uma pessoa inovadora, o meu pai

O meu pai, Alberto Ribeiro da Silva, era uma pessoa que enxergava longe, um visionário como alguns o chamavam. Ele morou algum tempo em Balsas, no Maranhão. Nesta temporada teve a ideia de gravar fitas de áudio em família e usá-las para nossa correspondência! Assim, em Fortaleza nós juntávamos a família para gravar as novidades e enviávamos a fita pelos correios. Depois de algum tempo recebíamos outra fita, do papai, da mamãe e de outros parentes, comentando nossa última “carta” em áudio! Tenho também estas gravações, que são para mim uma preciosidade! 

Mas bem: há quem não goste muito de fotografar ou de ser fotografado e eu respeito a vontade, mesmo porque quando trabalhava em televisão, como músico me exibia com o Conjunto Big Brasa na televisão com minha guitarra e fazia tudo aquilo com a maior naturalidade. Mas, pelo contrário, quando tinha falar alguma coisa na frente das câmeras, como uma pequena entrevista para as fãs do interior do Estado, ficava inseguro - assim como reagem muitas pessoas – inclusive artistas – os quais apesar dos treinos constantes sempre ficam um pouco nervosos.

A revolução digital

Atualmente se a fotografia se tornou popular. Todo mundo pega uma câmera ou simplesmente um telefone celular e sai clicando tudo, gravando, fazendo os “selfies” da vida. Graças ao poder dos registros é impressionante como os flagrantes diversos são registrados em todos os locais e em instantes podem estar na internet, disponíveis para todo o mundo! Com a quantidade de imagens é lógico que a qualidade não é a mesma. Porque não existe tanta preocupação em clicar algo com os ajustes bem feitos da câmera. As pessoas as colocam no modo automático e clicam à vontade. E ao invés de esperar algum tempo para ver seus resultados fotográficos, esperando pela revelação dos filmes, como feito antigamente, conferem suas fotos na hora!

No início da fotografia digital estava em um aniversário com uma câmera e fotografava muito, quando um fotógrafo profissional, dos antigos, questionou por que eu “tirava tanta foto”, sendo que segundo ele “fazia apenas dez uma vinte fotografias” e eram melhores do que as minhas trezentas imagens... Sem concordar ou discordar respondi: “É, mas eu posso perder cinqüenta por cento de minhas fotos e ainda ficarei com 150 fotos boas”. Certamente uma preocupação dele com a tecnologia que chegava para ficar. Atualmente, pela qualidade dos equipamentos digitais (câmeras e filmadoras), praticidade e velocidade na obtenção dos resultados, todo mundo aderiu ao mundo da imagem digital. E acima de tudo, com o auxílio de tecnologias modernas auxiliares, podemos transmitir nossas fotos em instantes, quer enviando os arquivos por e-mail ou simplesmente postando nas redes sociais, compartilhando com nossos amigos, parentes e familiares em toda parte!

Em última análise: gosto muito de tudo aquilo que aprendo e que faço. Talvez seja importante para uma quebra de rotina quando a vida nos pede isso. E assim me encontro, em uma praia, uma serra, em qualquer lugar, clicando as paisagens e me sentindo bem. Que novidade virá pela frente?

(*) João Ribeiro é Analista de Informações do Ministério do Trabalho, aposentado, cargo hoje denominado Oficial de Inteligência na atual Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); atuou também na Chefia da Segurança Orgânica, de Informática e da Documentação, na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Atualmente é Diretor do Instituto Portal Messejana e escreve também em seu blog, no qual aborda assuntos de interesse geral da comunidade e de outros campos de expressão do poder nacional. 



Veja também nas redes sociais:

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Você gosta de escrever? Facilite a leitura de seus amigos com regras básicas


É comum você se deparar com um texto, ler as frases, ideias e não compreendê-las adequadamente. Por que isso acontece? As pessoas treinadas em redação possuem técnicas simples e eficazes para uma organização de seus textos. É importante saber que outras pessoas vão entender mesmo o que você quis dizer.

Nas redes sociais achamos de tudo, artigos e comentários interessantes, mas também textos em que percebemos que o autor conhece o assunto, mas não consegue
transmiti-lo de forma adequada. E o pior: muitas pessoas dizem que determinados textos são legais apenas para não perder o amigo ou para dar uma de inteligente mesmo. Se quiser algumas dicas interessantes, parabéns pelo seu interesse e siga em frente!

Tenha em mente que hoje em dia as pessoas estão desacostumadas de ler artigos longos! Portanto, se você deseja que este grupo leia suas matérias limite o conteúdo, mesmo em prejuízo da abrangência. Guarde aqueles tópicos ou tudo aquilo que você poderia acrescentar em seu texto e publique um livro. É uma raridade hoje em dia e talvez você se dê bem.

ALGUNS PRINCÍPIOS BÁSICOS

Antes de escrever qualquer coisa pense um pouco, elabore um planejamento! Se o assunto for simples bastará um planejamento mental. Se mais complexo faça um detalhamento em rascunho e selecione ideias mais importantes e exclua as desnecessárias! Vamos comentar um pouco a respeito de alguns princípios que considero básicos na elaboração de um texto. São eles:

ASSUNTO - Procure definir o assunto que você deseja abordar no início de seu texto. Deve conter no mínimo uma resposta para as perguntas: o Que?, Quando? E Onde? Se possível Como e Por que...

CLAREZA – Seja bastante claro ao elaborar suas ideias. Não enrole com clichês e palavras vagas. Vá ao ponto diretamente.

IDEIAS – Separe as ideias de forma bem visível. Dessa forma facilitará a leitura e a compreensão do texto. Escreva somente o necessário, procurando condensar a informação. Seja sucinto, sem excluir nenhum ponto, a chave para um bom texto! Diga o que você pensa sem rodeios. Utilize paágrafos distintos e sentenças curtas, sempre que possível!

SIMPLICIDADE – Não use uma linguagem afetada. O que é isso? É o fato de utilizar palavras técnicas ou de significado pouco visto, tornando assim o seu texto mais difícil de ser entendido! A não ser que seja um artigo técnico e dirigido a pessoas de um determinado grupo, ao qual você terá que usar as tais palavras, terminologia apropriada. Escreva com simplicidade, naturalidade e confiança.

OBJETIVIDADE – Se você quer mencionar uma praia, as ondas do mar, não fique rodeando com frases do tipo “sabemos que a natureza é bela...” (incluindo parágrafos e mais parágrafos sobre a natureza para chegar a uma praia)...

AMPLITUDE – a amplitude é outra questão de pontos de vista. De o seu texto se destina a um público que precisa de informações detalhadas, abra o leque de opções e amplie o seu conteúdo de forma a abranger o que você planejou.

IMPARCIALIDADE – procure ser imparcial ao analisar fatos que possam ser interpretados de múltiplas formas. Deixe o leitor decidir se concorda com essa ou aquela ideia ou pensamento.

LINGUAGEM – escreva certo! Procure não massacrar o português, escrevendo com acentuação errada, pontuação, enfim, colocando uma série de empecilhos, verdadeiros desafios de respiração, para quem vai ler seu texto.

ORTOGRAFIA – tenha o máximo de cuidados para não escrever palavras com ortografia errada, fazer abreviações que não existem em nosso idioma, mencionar siglas sem dizer o seu significado. Sempre que utilizar uma sigla pela primeira vez, o seu significado deve vir a seguir, entre aspas. Exemplo: “o SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial)”, ...

ACENTUAÇÃO E PONTUAÇÃO – É importante frisar: cuide bem da acentuação e pontuação em seu texto e revise sempre o que for escrever. A primeira impressão quase sempre é a que fica, a que marca mais.

DICAS FINAIS

No trabalho, lembre-se de revisar seus documentos antes de encaminhá-los para os seus chefes imediatos. O mesmo cuidado deve ser observado nas correspondências particulares. Seu trabalho é o espelho de sua capacidade!  

Observe o princípio da Qualidade Total, que significa “fazer sempre certo da primeira vez”.  Lembre-se de que aquilo que você escrever deve ser entendido na primeira leitura.  Se você quiser que seu trabalho seja lido e analisado por seus superiores, seja breve. Quanto menor o texto, maior a chance de ser lido por eles.

Reescreva. Revise. Acima de tudo, corte. Quando se tratar de um trabalho importante, faça uma pausa, entre o primeiro e o segundo rascunho, de pelo menos uma noite. Volte a ele com um olhar crítico e imparcial. Ao computador, uma dica que pode e deve ser utilizada é manter os rascunhos em uma pasta criada especificamente para isso. Nomeada, portanto “Rascunhos”. Ao final você “salva” o arquivo definitivamente!

(*) João Ribeiro é Analista de Informações do Ministério do Trabalho, aposentado, cargo hoje denominado Oficial de Inteligência na atual Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); atuou também na Chefia da Segurança Orgânica, de Informática e da Documentação, na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Atualmente é Diretor do Instituto Portal Messejana e escreve também em seu blog, no qual aborda assuntos de interesse geral da comunidade e de outros campos de expressão do poder nacional. 

Veja também nas redes sociais: