terça-feira, 27 de agosto de 2013

Dicas de segurança na Informática pessoal e para empresas


Considerações iniciais
A importância da Segurança das Informações
 
Tenha em mente que nenhum tipo de segurança vai garantir uma defesa plena de seus dados. Portanto haja no sentido de proteger os seus dados pessoais e os de sua empresa o melhor possível utilizando as tecnologias existentes. Todo conhecimento (arquivos de texto, planilhas, fotografias, projetos) que você mantém em seus computadores está em risco. A melhor defesa, além de softwares especiais de criptografia (uma técnica de codificar os dados de forma que ninguém a eles tenha acesso, se não com as senhas devidas) e os famosos backups (que são cópias de segurança de dados) apenas podem ser suficientes para eventuais erros técnicos ou defeitos do sistema. A principal garantia que você deverá ter para manter seus dados protegidos é um controle de pessoal e, nesse controle, que as pessoas que lidam com seus dados possuam uma mentalidade de segurança inerente à responsabilidade e ao serviço. E nesse sentido que possa avisá-lo de que seus dados não estão mais seguros ou que há possibilidades de vulnerabilidade em tais locais. Por mais que uma empresa tenha segurança em seus dados o elemento humano é fundamental para que ela seja efetiva (ou não). Assim é aconselhável uma política de segurança no sentido de formar ou qualificar profissionais para o trato de informações consideradas críticas para sua empresa. A espionagem comercial, industrial, é fato corriqueiro hoje em dia. Com a tecnologia fornecendo os meios cada vez mais fáceis para a obtenção de dados, cabe a cada um se proteger da forma que pode ou que sabe. 
                                                                          
Mantenha seus dados seguros

Muitos dos problemas vividos por pequenas empresas podem ser culpa de forças externas - uma economia difícil, um desastre natural, a saída de um funcionário chave. Ou mesmo por espionagem (furto de dados).

Não é surpresa que aqueles que sobrevivem aos tempos difíceis são tipicamente aqueles que minimizaram seus riscos tomando algumas precauções básicas. Uma das mais básicas de todas é a proteção de seus dados de negócio.

Imagine andando por seu escritório uma manhã e descobrindo que todos os seus registros de vendas, contatos com clientes e histórico de pedidos desapareceram. Quanto tempo você levaria para se recuperar? Quanto atraso e problemas ocorreriam? Quanto isso custaria para você?

A perda de dados pode acontecer e acontece. Isso pode ser resultado de falhas de hardware, inundações, incêndio, falha de segurança - um simplesmente a exclusão acidental de um importante arquivo. Independente da causa, tomar precauções para reduzir o impacto é como uma apólice de seguro, que permite ao seu negócio retornar à ativa rapidamente.

Ações básicas que você pode tomar

Existem várias formas de salvaguardar os dados críticos do negócio, mas estes três métodos são o início:

1. Implementar um procedimento de backup dos dados críticos.

Fazer backup dos dados significa fazer uma cópia em outra mídia. Por exemplo, você pode queimar alguns CDs com os arquivos importantes ou copiar para um segundo disco rígido. Existem dois tipos básicos de backup: um backup completo (full) ou um backup incremental. Um backup completo faz uma cópia completa dos dados selecionados em outra mídia. Um backup incremental copia apenas aqueles arquivos que foram criados ou alterados desde o último backup completo.

Um backup completo seguido de backups incrementais é geralmente mais rápido e usa menos espaço em disco. Você deve considerar um procedimento de executar um backup completo semanalmente, seguido de backups incrementais diários. Entretanto, quando você precisar restaurar os dados após uma falha você levará mais tempo porque precisará restaurar o backup completo primeiro e então restaurar cada backup incremental. Se isso for um problema, outra opção é fazer um backup completo diariamente; automatize-o para executar nas horas ociosas.
É uma boa idéia testar seus backups frequentemente restaurando os dados para um local de teste. Fazer isso irá:

·         Garantir que a mídia de backup e os dados estão em bom estado
·         Identificar problemas no processo de restauração
·         Fornecer um nível de confiança que será útil durante uma crise

2. Estabeleça permissões

Tanto seu sistema operacional como seus servidores podem fornecer proteção contra perda de dados devido a atividades dos funcionários. Com o Windows XP e o Windows 2000 - assim como no Windows Small Business Server 2003, Windows Server 2003 e Windows 2000 Server - é possível atribuir diferentes níveis de permissões baseados no papel e responsabilidade dos funcionários da organização. Ao invés de atribuir acesso de "administrador" a todos, o que não é uma prática recomendada para manter um ambiente seguro - institua uma política do "menor privilégio possível" configurando os servidores para fornecerem acesso individual a programas específicos apenas e especificamente definindo privilégios dos usuários.

3. Criptografe dados críticos.

Criptografar dados significa que você converterá os mesmos em uma forma ilegível. A criptografia é usada para garantir a confidencialidade e a integridade dos dados quando armazenados ou se movendo através da rede. Apenas usuários autorizados possuem as ferramentas para descriptografar arquivos e consequentemente, apenas eles podem acessar os mesmos. A criptografia complementa outros métodos de acesso e fornece um nível adicional de proteção para proteger os dados em computadores que são vulneráveis a roubo - como notebooks ou arquivos em uma pasta compartilhada. O Windows XP e o Windows Small Business Server 2003 suportam o EFS (Encrypting File System) para criptografar arquivos e pastas.

Juntas estas práticas permitem que você tenha o nível de proteção necessário para a maioria dos negócios.

Aprenda a utilizar o sistema de arquivos com criptografia do sistema NTFS

O sistema de arquivos NTFS tem uma característica mais interessante. Trata-se do EFS — sigla de Encrypting File System, ou sistema de arquivos com criptografia. Com esse recurso, que só está disponível na versão Professional, você pode criptografar pastas e arquivos. O uso é simples. Clique com o botão direito do mouse numa pasta ou arquivo e escolha Propriedades. Na janela Propriedades, orelha Geral, clique no botão Avançados. Abre-se a tela Atributos Avançados. Nela, marque a opção Criptografar o Conteúdo para Proteger os Dados e dê OK. Se você quiser criptografar um arquivo pertencente a uma pasta não-criptografada, o Windows vai avisar que essa opção não é muito segura. Vai ensinar, também, que os arquivos salvos em pastas protegidas passam automaticamente a ser protegidos. Por fim, vai sugerir que você também criptografe a pasta. Os itens criptografados são exibidos pelo Windows Explorer com as descrições em cor verde.

Muito bem, e o que acontece com essa pasta ou arquivo? Em princípio, nada. Mas se o arquivo for copiado para outro computador ou seu PC for roubado, ninguém terá acesso aos dados protegidos. O EFS faz criptografia de múltiplas camadas, difícil de quebrar. Ao mesmo tempo, é muito fácil de usar, porque não requer nem mesmo senha. O embaralhamento das informações é produzido mediante uma chave que leva em conta a identificação do usuário que faz a criptografia. INFO realizou uma experiência que você pode repetir. A máquina usada foi um PC com dois drives — um NTFS e o outro FAT32 — e dois usuários cadastrados. O primeiro usuário criptografou dois arquivos, um TXT e um XLS. Em seguida, deu-se o comando Iniciar/Fazer Logoff/Trocar Usuário. O segundo usuário entra com sua senha e tenta abrir os dois arquivos. Os programas correspondentes dão as mensagens de que o acesso foi negado.

Assim, considerando alguns dos múltiplos aspectos que envolvem a segurança dos dados em informática e principalmente nas transmissões de dados via internet ou outros meios eletrônicos, há que se prestar muita atenção ao setor de informática pelas vulnerabilidades apresentadas.

Veja também nas redes sociais:


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

A economia brasileira e seus reflexos na criação de postos de trabalho no Ceará


Muitos, particularmente os mais jovens não sabem o que são Postos de Trabalho. E aqui vamos comentar um pouco sobre o assunto. Com alguma experiência na Área do Trabalho vamos procurar esclarecer em fácil entendimento o assunto.

O que é um Posto de Trabalho?
 
Um Posto de Trabalho, em um entendimento bem simples, é uma vaga, que pode ser no comércio, ou em outros setores. Por exemplo, quando um posto de gasolina é aberto são gerados vários postos de trabalho. Assim, ocupam aqueles postos de trabalho os frentistas, o pessoal das lojas de conveniências, os seguranças, enfim, todo mundo que é empregado naquele novo negócio.

A economia de um país tem reflexos diretos na criação (crescimento) ou no corte (diminuição) dos Postos de Trabalho. Quando a economia está crescendo surgem muitos postos de trabalho para a população, o que diminui aquele contingente de mão-de-obra desempregada, com a ocupação desses novos empregos.

Mas o que e contingente de mão-de-obra desempregada?

A palavra “contingente” significa um grupo, uma parcela da população. Conforme um dos dicionários, um conjunto de pessoas que desempenham uma função específica dentro de uma coletividade. No caso dos desempregados formam um contingente de mão-de-obra desempregada. 

A procura de um 1º Emprego

Vamos entender bem o seguinte raciocínio, para que no final todos compreendam a importância do tema: a cada dia muitas pessoas fazem aniversário e centenas ou milhares completam 18 anos. Seguem logo para os Postos do Ministério do Trabalho, Postos do Sistema Nacional de Emprego (SINE) etc. para “tirarem” sua Carteira de Trabalho. E assim passam a procurar o seu primeiro emprego. Poucas conseguem, por razões múltiplas, os sejam: não há postos de trabalho disponíveis no local onde moram (vagas); as vagas oferecidas são para pessoas qualificadas ou com experiência (o que os novatos ainda não possuem) e por aí vai. Algumas pessoas que conseguiram o seu 1º emprego logo após seus 18 anos. E as outras restantes vão se somar ao contingente de mão-de-obra desempregada. E no dia seguinte mais pessoas completam aniversário. A estória se repete. Algumas (poucas) conseguem emprego e as demais se somam aos desempregados. Desse modo a massa de desempregados no país vai acrescendo dia a dia. E a quantidade das pessoas que passam a “pressionar” o mercado de trabalho para conseguir uma “vaga”, um posto de trabalho, aumenta rapidamente.

O crescimento populacional comparativamente ao crescimento dos postos de trabalho

Em um Estado pobre como o Ceará, como em outros estados brasileiros, o crescimento populacional é muitas vezes maior que o aumento dos postos de trabalho. Ou seja: simplesmente a economia do Estado não cresce de modo suficiente para que haja emprego para todo mundo que deseja trabalhar. Assim, como não há Postos de Trabalho suficientes a procura pelos empregos retornar e aqueles que não conseguem passam a incorporar o contingente de mão-de-obra desempregada. Há órgãos oficiais que informam os índices de emprego e desemprego, conforme dados fornecidos pelo Ministério do Trabalho.

Os índices de desemprego aumentam e os problemas decorrentes também. Assim, a economia de um país tem que crescer para que não haja desempregados ou pelo menos que o número de pessoas sem empregos seja muito pequeno. Trata-se de um problema econômico, com consequências sociais muito graves.

Veja também nas redes sociais:


terça-feira, 20 de agosto de 2013

Dicas de como escrever melhor

Nos tempos modernos é muito importante escrever bem.
 Escrever bem é saber expressar idéias clara, rápida e persuasivamente. Uma boa redação revela a capacidade de raciocínio e esforço pessoal - mesmo para aqueles que têm mais facilidade.

Mas atenção: além de ter redação própria é preciso saber utilizar os processadores de textos, que possuem inúmeros recursos, tendo em vista que a quase totalidade das empresas está plenamente informatizada. Conhecimentos de informática, principalmente sobre gravação de arquivos, organização de pastas de trabalho, cópias de segurança (backup), impressão de documentos, tipos diferentes de formatação, são condições essenciais! 

TENHA EM MENTE QUE O TEMPO DO LEITOR É LIMITADO

·         No trabalho, lembre-se de revisar seus documentos antes de encaminhá-los para os seus chefes imediatos. O mesmo cuidado deve ser observado nas correspondências particulares. Seu trabalho é o espelho de sua capacidade!
·         Observe o princípio da Qualidade Total, que significa “fazer sempre certo da primeira vez”.
·         Lembre-se de que aquilo que você escrever deve ser entendido na primeira leitura.
·         Se você quiser que seu trabalho seja lido e analisado por seus superiores, seja breve. Quanto menor o texto, maior a chance de ser lido por eles.

SAIBA AONDE VOCÊ QUER CHEGAR

Antes de redigir, se possível faça um esboço, listando e organizando suas principais idéias e argumentos. Ele lhe ajudará a não se desviar da questão central. Lembre-se de ordenar as idéias de forma coerente e lógica.

TORNE A LEITURA FÁCIL E AGRADÁVEL

Os parágrafos e sentenças curtos são mais fáceis de ler do que os longos. Mande “e-mails”, ofícios ou cartas, não romances. Para enfatizar, sublinhe sentenças e enumere os pontos principais.

EVITE USAR "CLICHÊS"

·         Use suas próprias palavras.
·         Clichê - O último, mas não menos importante...
·         Direto - Por último...

EVITE O USO DE ADVÉRBIOS VAGOS

·         Evite advérbios não esclarecedores, como "muito", "pouco", "razoavelmente".
·         Vago - O projeto está um pouco atrasado.
·         Direto - O projeto está uma semana atrasado.

USE UMA LINGUAGEM SIMPLES E DIRETA

·         Evite o jargão técnico e prefira as palavras conhecidas. Não esnobe o seu português.
·         Jargão - Input, Output.
·         Português comum:  fotos, informações, resultados.

ACHE A PALAVRA CERTA

Use palavras que você conheça exatamente o significado. Aprenda a consultar o dicionário para evitar confusões. Palavras mal-empregadas são percebidas facilmente por um bom leitor e depõem contra você.

NÃO COMETA ERROS DE ORTOGRAFIA

Após concluir seu trabalho, sempre utilize o corretor ortográfico de seu processador de textos. Observe que nem sempre ele corrigirá tudo! Uma vez que uma palavra existe no dicionário o computador não a marcará como errada. Por isso mesmo leia o texto antes de imprimi-lo. 

Em caso de dúvida, consulte o dicionário (alguns podem ser até mesmo instalados no computador) ou peça a alguém para revisar seu trabalho. Uma redação incorreta pode indicar negligência de sua parte e impressionar mal o leitor.

NÃO EXAGERE NA ELABORAÇÃO DA MENSAGEM

Escreva somente o necessário, procurando condensar a informação. Seja sucinto, sem excluir nenhum ponto - chave.

ATAQUE O PROBLEMA

Diga o que você pensa sem rodeios. Escreva com simplicidade, naturalidade e confiança.

EVITE PALAVRAS DESNECESSÁRIAS

·         Escreva o essencial. Revise e simplifique.
·         Não escreva: plano de ação, fazer um debate, estudar em profundidade no evento de, com o propósito de, a nível de diretoria.
·         Escreva: plano, debater, estudar, se, para, pela diretoria.

EVITE ABREVIAÇÕES, SIGLAS E SÍMBOLOS

Sempre que utilizar uma sigla pela primeira vez, o seu significado deve vir a seguir, entre aspas. Exemplo: “o SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial)”, ...

NÃO SE CONTENTE COM O PRIMEIRO RASCUNHO

Reescreva. Revise. Acima de tudo, corte. Quando se tratar de um trabalho importante, faça uma pausa, entre o primeiro e o segundo rascunho, de pelo menos uma noite. Volte a ele com um olhar crítico e imparcial.

Ao computador, uma dica que pode e deve ser utilizada é manter os rascunhos em uma pasta criada especificamente para isso. Nomeada, portanto “Rascunho”. Para concluir o trabalho, após todas as correções e eventuais modificações feitas no texto, salvar o mesmo arquivo na pasta adequada. No seu editor procure usar uma fonte legível, se com possível com a seguinte formatação de margens: Margem esquerda: 3 cm (aconselhável).  Margem direita: 2  cm. Margem superior: de 2 cm.  Margem inferior: de 2 cm

Veja também nas redes sociais:


quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A teoria dos círculos concêntricos

Em nossas vidas passamos por muitas coisas às vezes sem perceber. Pela falta de tempo ou simplesmente por não atentar à nossa volta. O aprendizado se faz, de qualquer maneira, nas condições de cada ser humano, influenciado pelo ambiente em que vive, pela família, amigos e a sociedade globalizada que hoje existe. Mas alguns acontecimentos ficam, marcam, principalmente quando são incorporados pela nossa mente e passam a nos auxiliar o tempo inteiro, nas mais diversas áreas de atividades. Observe o alvo ao lado e sua parte central!

Estas palavras destinam-se a homenagear uma pessoa digna e um exemplo de vida e, por outro lado, proporcionar aos meus amigos, alunos e professores da CGK-DOJO, pela qual tenho o maior apreço, um conhecimento simples, mas importantíssimo para toda a vida se bem compreendido e seguido à risca.

Vamos a seguir tentar retransmitir a outras pessoas e tentar fazer uma adaptação para o Karatê, estilo Shotokan, uma parte das várias lições recebidas de meu Guru, ex-chefe, amigo e pessoa extraordinária, do Exército Brasileiro, Cel. Mário Ramos Soares. Apenas para dar uma idéia do conceito que temos a respeito dele, meu falecido pai Alberto Ribeiro, após ter conhecido o Cel. Mário e saber por meu intermédio de muitas histórias dignas de registro, de ter tomado conhecimento de muitas ações de cidadania de sua parte, e por seu, caráter, dignidade, sabedoria, justiça e bondade, dizia: “O Coronel Mário é uma espécie em extinção no mundo e no Brasil principalmente”. E eu complementava: “Bastava em cada Estado da Federação ter um Cel. Mário liderando e o País estaria salvo”.

Uma lição de vida a cada dia e um exemplo a ser seguido

Ao final de cada dia de serviço o Cel. Mário me chamava e ministrava, informalmente, uma aula. Qualquer que fosse o assunto eram conhecimentos diversos que ele me transmitia. E cobrava depois, sem brincadeira. E assim eu consegui assimilar muitas coisas boas em sua convivência. E por último tive a honra de substituí-lo, por sua própria indicação, em uma Chefia de grande importância por muitos anos, na Atividade de Inteligência, para o governo federal.

Os Círculos Concêntricos

Mas bem, um dia o Cel. Mário me perguntou se eu conhecia a teoria dos círculos concêntricos e eu lhe respondi que não. Passou então a demonstrar o que segue e que futuramente eu viria a transmitir para muitas pessoas, em particular aquelas mais jovens que necessitam de experiência.

Como funciona a teoria dos Círculos Concêntricos

É bastante simples: partindo-se do princípio da figura ao lado temos a representação, nos diversos círculos, daqueles conhecimentos que uma pessoa deve possuir. Mas não basta ler e achar que já aprendeu... Temos que escrever e registrar no papel todos os passos e depois memorizá-los, tomando exata consciência do que é para ser feito e construindo uma mentalidade positiva em relação ao aprendizado. Procure assimilar os passos seguintes e fazer uma relação de todos os conhecimentos que deseja manter permanentemente em sua mente, de acordo com as necessidades de cada um. Exercite, não deixe de escrever bastante e pensar em suas prioridades. Vamos lá então: 

TEM QUE SABER!

No círculo central, (nº 1) está tudo aquilo que a pessoa TEM QUE SABER!

São as prioridades, de acordo com cada função ou atividade que o indivíduo desenvolve. São as atividades e conhecimentos INDISPENSÁVEIS, sem os quais a pessoa torna-se incompetente para o bom e correto desempenho da função ou da missão.

Tomando-se, por exemplo, o Karatê, quais seriam os conhecimentos ou técnicas que o karateca TEM QUE SABER?

Como resposta simples: um karateca deve conhecer todas as defesas, as posições de base, as principais formas de ataque, como movimentar-se em um combate, como empregar de forma conjunta o corpo, a mente e o espírito no sentido de vencer os obstáculos. O conhecimento e o respeito sobre todas as atitudes no DOJO. Tudo isso o praticante TEM QUE SABER. Isto significa que ele é obrigado a saber e nada justifica que não saiba, principalmente quando se trata de alunos graduados.

A cor de uma faixa, simplesmente, não demonstra o que o praticante verdadeiramente É ou aquilo que SABE. São os seus atos, suas práticas e suas maneiras e seu espírito que denotam e exprimem tais sensações ou impressões. O interesse em aprender está no pequeno CÍRCULO CENTRAL onde está escrito: TEM QUE SABER!  

O CÍRCULO DEVE SABER!

No círculo seguinte (nº 2), os conhecimentos que a pessoa DEVE SABER.  Seriam conhecimentos adicionais, muito importantes, que serviriam de subsídios ou “bagagem” teórica ou prática para a atividade exercida. Também como respostas ilustrativas e didáticas, de minha parte, consideramos que o praticante de karatêDEVE SABER: dados históricos sobre a arte marcial, como a história do karatê (pelo menos sua origem); como e onde o karatê nasceu, no caso do Shotokan, como se procedeu a mudança, feita por quem etc.DEVE SABER também como se comportar como pessoa diante de seus semelhantes e principalmente como se portar no DOJO com seus mestres e colegas;

Ainda constaria do círculo DEVE SABER: conhecer os principais termos (nomenclatura) utilizados nas práticas; DEVE SABER e ter plena consciência da ética e do respeito durante e fora das aulas, de modo particular para com seus professores e com os mais velhos, os quais são certamente uma fonte de experiência para suas vidas.  DEVE SABER que nos treinos e nos combates cada um tem o seu limite; DEVE SABER quais são os equipamentos de segurança e proteção obrigatórios para as práticas; DEVE SABER que a humildade é ponto alto no desenvolvimento do espírito, pois nem mesmo os grandes mestres do Karatê se consideravam os maiorais, pelo contrário, mantiveram sempre a humildade no sentido de que “quanto mais sabiam, mais sabiam que não sabiam nada, em relação ao universo de conhecimentos...” E por aí seguiria a lista, com mais detalhes do que o aprendiz DEVE SABER.

PODE SABER!

Neste círculo (nº 3), PODE SABER, logicamente em se tratando do karatê, estariam conhecimentos acessórios como: noções básicas de anatomia, primeiros socorros, história geral do karatê, sua filosofia etc.

É BOM QUE SAIBA!

E por último, teríamos o círculo É BOM QUE SAIBA (nº 4). Neste se enquadram todos os demais conhecimentos julgados úteis em nossa vida, incluindo conhecimentos gerais, sobre arte, cultura, música, informática, saúde, além de outros voltados exclusivamente para a profissão que cada um exerce ou pretende exercer. O importante neste círculo é que a pessoa sempre busque o maior conhecimento possível sobre tudo aquilo que puder aprender. O nosso cérebro é pouco utilizado e se desenvolve mais na medida em que nós o treinamos, ou seja, quando mais se aprende mais ágil fica.

Considerações finais

Com essas palavras fica aqui explicitada a Teoria dos Círculos Concêntricos, esperando que a mesma venha a ser utilizada por aqueles que dela tomarem conhecimento e transmitida a mais pessoas, com o objetivo de compartilhar uma técnica do BEM.


Veja também nas redes sociais:

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A seca no Ceará e a falta de uma solução definitiva para os problemas decorrentes


É uma situação aflitiva que ocorre periodicamente há dezenas de anos e não se tem uma solução definitiva não para acabar com a irregularidade climática, que é impossível, mas sim para que o sertanejo, as populações interioranas possam conviver com o problema. Atualmente o Nordeste enfrenta uma seca que vem dizimando suas plantações, seu gado e vitimando os agricultores e toda a população.

Em todo o Estado, campanhas distribuem doações de água potável, alimentos e roupas para quem sofre com os efeitos da estiagem. Os números são preocupantes. Das 184 cidades cearenses, 178 estão em situação de emergência em decorrência da seca. Os reservatórios do Ceará estão apenas com 41% da capacidade total.  

As pessoas, os animais e as plantações sofrem por todo o Nordeste. Atingidos novamente por uma seca há dois anos. Há problemas de toda ordem, dentre eles, o principal, o abastecimento d´água. 

Das soluções aplicadas para minorar o problema estão as cisternas, que ajudam o povo a enfrentar a falta de água, com o armazenamento de água das chuvas.

Cisternas de cimento e de polietileno

Um fato estranho e para re refletir foi noticiado pela imprensa nos últimos dias que os governos compraram 49 mil cisternas de polietileno, para distribuição no interior. Nas matérias vídeos foram apresentados onde muitas pessoas mostram que unidades das cisternas de polietileno estavam com problemas em decorrência do calor intenso e exposição ao sol, o que as deformaram. Elas seriam instaladas em 113 municípios do Ceará. Até que me provem o contrário, acho que as cisternas de cimento são mais viáveis, pelos motivos apontados.

O custo dessas cisternas de polietileno é de R$ 5.000 (cinco mil reais). Por outro lado as cisternas construídas de cimento saem por menos da metade do preço, ou sejam por R$ 2.200,00. Não é de se estranhar um gasto maior de 100 por cento na compra de cisternas de polietileno em vez de fazer cisternas de cimento, usando ainda mão-de-obra local? O simples fato de ter o aproveitamento de mão-de-obra do sertanejo e assim lhe proporcionar trabalho e remuneração já justificaria o uso de cisternas de cimento.

Ora, com a construção apenas de cisternas de cimento, o custo seria bem menor e o dinheiro destinado para as obras circularia pelo interior do Estado, além do que mão-de-obra de pedreiros e serventes poderia ser usada, visto que não há empregos suficientes em toda a região interiorana, o que aumenta por sua vez o êxodo rural. Além disso as cisternas de cimento são muito mais resistentes.

Por que então se justificaria o gasto de milhões para a aquisição de cisternas de polietileno? Das duas uma: os envolvidos não foram consultados e as pessoas competentes tecnicamente não foram ouvidas sobre o assunto. Ou então há interesses escusos nas negociações – alguém estaria ganhando para “empurrar” as cisternas de plástico...

O site “Cisternas da Discórdia”, diz que:

As cisternas, feitas de polietileno, foram adquiridas pelo Ministério da Integração Nacional (MIN) como parte da ação do programa Água para Todos para atender as famílias da Região Nordeste. O primeiro lote de 60 mil unidades foi comprado em novembro de 2011 por R$ 210 milhões, através de licitação que teve como única concorrente a empresa mexicana Dalka, que no Brasil tem o nome fantasia de Acqualimp. A licitação foi realizada pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), que também coordenou os pregões eletrônicos para contratação das empresas responsáveis em instalar as cisternas em oito estados da região Nordeste e em Minas Gerais. Em Pernambuco, a Engecol, sediada em Petrolina, ganhou a concorrência para instalação de 22.679 cisternas.

Somando os valores da compra da cisterna de polietileno e da instalação, cada unidade custou em média R$ 5.090 para os cofres públicos, quase o dobro do preço das cisternas de placa (alvenaria), até então únicas construídas no País por ONGs que recebem apoio financeiro do Governo Federal. Cerca de 500 mil cisternas de placas, que custam em média R$ 2.500, já foram construídas no Brasil. Alegando que, apesar de mais caras, as cisternas de polietileno são mais duráveis, resistentes e, principalmente, mais rápidas de ser instaladas - tendo em vista a urgência das famílias que enfrentam a seca -, o Ministério da Integração Nacional optou em adotar essa nova tecnologia.

A triste “indústria da seca”

Falou-se muito na indústria da seca. E ela continua, o que constitui como um aproveitamento da triste e lamentável situação do nordestino, vítima de sucessivas secas e com representação política insuficiente para defendê-lo. Ganham os espertalhões ao usarem a seca para vender seus produtos a preços superfaturados e assim aproveitar mais e mais do dinheiro do contribuinte.

Tudo isso seria motivo de uma grande investigação por parte dos órgãos técnicos competentes, os quais deveriam divulgar o porquê da aquisição de cisternas de polietileno para o nordeste. 


Veja também nas redes sociais: